top of page
Buscar
  • Foto do escritorJoana Preto

Que horas são? - pergunta a pele...

O trabalho por turnos, principalmente o noturno, resulta muitas vezes na incapacidade de cumprir rotinas. Com a pele não é diferente...

Não são desculpas, eu sei. Já passei por isso. Já fiz muitas noites e deitei-me muitas vezes de manhã e exausta. First things first, não é? O motivo é plausível: cansaço; e o descanso é uma das necessidades humanas básicas.


Acontece que o que é esporádico passa a ser uma rotina; pensamos que "é só mais um dia", mas lá aparecem as manifestações e alterações na pele, as quais são desmotivantes: a não melhoria de algumas imperfeições, a frustração pelo investimento em produtos que não são usados e podem passar da validade após abertura, a desidratação da pele, a descamação... E atrás dessa desmotivação vem a desistência.


Sigo muitas pessoas que tentam resolver um problema sem identificar a causa, e este é um dos gatilhos.


Quem trabalha por turnos sabe que tanto se descansa de dia como se trabalha à noite. Mas uma coisa é certa - o momento de regeneração da pele é feito maioritariamente no período de descanso. Quando dormimos a pele está mais permeável aos ativos que nela colocamos. Já do ponto de vista endógeno, uma série de fenómenos ocorrem no sentido de combater o stresse oxidativo a que a pele é sujeita.


Por isso, antes de carregar no botão sleep, considere que deve:


1. Adaptar os cuidados em função da e não da hora do dia/noite;


2. Reconhecer sinais de sensibilização da pele em função do estilo de vida;


3. Não adiar os cuidados da pele para a altura de maior cansaço. Por exemplo, antes de ir para o sofá relaxar, ou antes de se deitar, associe o momento de cuidar da pele com a lavagem dos dentes.



Alguns cuidados, simples, que deve manter são:


1. Lavar a pele, para remover os poluentes endógenos e exógenos;


2. Hidratar a pele, para assegurar a manutenção da barreira cutânea, muitas vezes agredida pelas horas de trabalho consecutivas VS cansaço. A permanência em ambientes secos também promove a desidratação da pele, e os estilos de vida menos adequados como a diminuição do aporte hídrico, nutricional e indisponibilidade para o exercício físico (que na verdade resultam das condições de trabalho), também se reflete na pele.


3. Evitar (mais) sensibilização: algumas pessoas têm a pele muito sensível, e o cansaço é visível através da mesma: vermelhidões, descamação ou até mesmo excesso de oleosidade. Estes podem ser alguns dos sintomas que muitas pessoas têm depois de horas de trabalho noturno.

Mediante a sensibilidade da pele, que pode estar mais reativa nestas alturas, antes de ir descansar, deve lavar e hidratar a pele, mas desaconselho o uso de esfoliantes, principalmente os físicos.


4. Relativamente aos antioxidantes, pode manter a sua aplicação durante o período de trabalho (independentemente da hora); quanto aos retinóides, o seu uso dependerá da tolerância da pele aos mesmos, mas serão ótimos para usar no período de descanso. Ambos ajudam a prevenir o stresse oxidativo e a irregularidade na textura da pele, respetivamente.


5. O protetor solar deverá ser usado nos período de atividade, ainda que trabalhe à noite e em ambiente fechado. O seu uso no período de descanso não será necessário!



A pele comunica, por isso descanse e cuide dela!


Obrigada por ler!

Joana


Comentários


bottom of page