top of page
Buscar
  • Foto do escritorJoana Preto

Queda de cabelo | como lidar, o que saber e o que usar?

Nota: este artigo é feito em #parceria com a Lazartigue, mas é de teor informativo, e o objetivo é promover o conhecimento acerca do tema abordado. As parcerias são importantes para que este projeto tenha viabilidade, o que não influencia a minha opinião sobre os produtos referenciados, nem distorce factos. As parcerias são aceites com base numa relação de confiança com os produtos e com as marcas, bem como pela oportunidade de abordar temas de interesse comum.


A queda do cabelo é um assunto sensível, pois tanto pode ser normal e expectável, quanto angustiante, principalmente para as pessoas que não têm muita densidade capilar.


Nesta altura do ano é frequente a queda do cabelo, mas é preciso não confundir a queda de cabelo com a perda de cabelo. A queda de cabelo, por si, não implica a sua perda, caso o ciclo de renovação do cabelo seja saudável. Ambas as situações implicam abordagens distintas, e a avaliação clínica pode ser muito determinante na escolha dos cuidados a ter, não atrasando cuidados e tratamentos necessários, se necessários.


As alterações ao ciclo de vida do cabelo são várias, e podem ser um sinal de alterações sistémicas. O mais comum é a queda de cabelo no pós-parto ou após uma situação de doença. Contudo, outros motivos poderão estar em jogo, e por esse motivo, e para uma avaliação criteriosa, a consulta com um dermatologista ou médico de medicina geral e familiar com formação em tricologia é necessária. Este é o profissional que ajudará a perceber se, apesar da queda de cabelo, o folículo se mantém viável. A tricoscopia é a técnica usada para o efeito.

Assim, foco-me na preocupação com a queda do cabelo, deixando previamente o alerta para a necessidade da avaliação médica.


Para que a preocupação com a queda do cabelo seja racional, impõe-se compreender o ciclo de vida do cabelo, e dessa forma tomar as medidas necessárias em consciência, certo?

Vamos a factos!

O ciclo de vida do cabelo não é nada mais que um processo de renovação. Mais precisamente o ciclo de vida do cabelo compreende algumas fases: crescimento, pausa e queda.


A fase anagénica, corresponde ao crescimento dos fios de cabelo, podendo durar entre dois a seis anos. A fase catagénica corresponde a uma pausa na atividade do folículo piloso. A fase telogénica dita o início de expulsão do cabelo, sendo um período de repouso e que pode durar cerca 100 dias.


O processo de renovação do cabelo pode durar entre 10 a 20 ciclos ao longo da vida, o que varia de pessoa para pessoa, e esses ciclos são contínuos. Cada ciclo dura, em média, entre dois a seis anos.


Em média temos entre 75 mil a 150 mil fios de cabelo, e a perda de cabelo, considerada normal, é entre 100-150 por dia. Caso a perda de fios de cabelo exceda este número, a mesma é considerada anormal, havendo na base uma alteração ao ciclo de vida do cabelo que deve ser estudada atempadamente.


O ciclo de renovação do cabelo dá-se de forma não sincronizada, o que permite alternar entre a queda de uns fios e o nascimento de outros. Segundo a literatura, a fase anagénica é superior nas mulheres, relativamente aos homens.


As variações das estações do ano podem ter algum impacto no número de folículos em atividade e, embora a literatura diga que podem ser pouco óbvias, a queda do cabelo é comum na entrada do Outono e da Primavera. O número de folículos em anagénese, catagénese e telogénese altera a sua atividade, havendo maior atividade da fase telogénica e por isso maior queda.


Já na gravidez as alterações no cabelo parecem mais óbvias. As hormonas da gravidez mantêm os folículos em anagénese, mas após o nascimento do bebé muitos entram em catagénese e telogénese, resultando em maior queda.


A hormona que regula o sono, a melatonina, a qual depende do ritmo circadiano, também está implicada no processo e renovação do cabelo. Por esse motivo se associa a queda do cabelo, também, ao cansaço e às alterações do sono.


Outras causas para a queda de cabelo poderão estar relacionadas com a toma de medicamentos, perda de peso, estado nutricional, fatores emocionais, pós-parto, infeções alterações hormonais e doenças a elas subjacentes.


Sabemos que o cabelo tem a função de proteção, mas também de comunicação social, razão pela qual a sua queda pode representar sérias consequências na autoimagem e autoestima. A queda de cabelo tem implicações psicossociais em ambos os sexos. Nas mulheres o impacto da queda do cabelo tende a ser maior, já que a sua densidade está associada à sua feminidade e juventude. Nos homens, contudo, o impacto na sua autoestima também é evidente.


Existem alguns cuidados que podem ser colocados em prática para diminuir o impacto que a queda de cabelo causa na autoimagem, bem como o próprio desconforto, pelo que deixo em seguida algumas sugestões e opiniões.


Os cuidados usados no couro cabeludo e cabelo, diretamente, passam pelo uso de produtos que confiram estrutura ou volume aos fios de cabelo, dando a sensação de mais densidade. Os champôs devem, por sua vez, limpar o couro cabeludo sendo adaptados ao mesmo, mais seco ou mais oleoso, ou com alguma alteração, independentemente da queda.


Durante a limpeza do couro cabeludo deve ser feita uma massagem suave, já que essa ação mecânica melhora a microcirculação periférica, estimulando a ação folicular. Champôs com ingredientes energizantes podem ajudar, mas é necessário que a sua utilização seja feita com uma massagem, permitindo o contacto do produto com o couro cabeludo.


Outro cuidado essencial é evitar fontes de calor, que pode sensibilizar o couro cabeludo e promover a queda.


A nutrição do cabelo também é um complemento importante, pois melhora o aspeto da haste capilar, e nesse sentido as máscaras nutritivas são um complemento essencial.


No que respeita à toma de suplementos não se pode afirmar que os mesmos evitem a queda. Habitualmente as recomendações são a toma de suplementos por cerca de três meses, que é, em média, o tempo que os folículos voltam a entrar na fase anagénica.


Em suma, é necessário conhecer a causa da queda de cabelo, pois é nela que se deve atuar. Por conseguinte, um diagnóstico correto é imperioso. Pode, contudo, não ser necessária qualquer intervenção, mas sim adequar os cuidados a ter com o couro cabeludo e cabelo, conforme descrevi, e aguardar até à normalização da densidade do cabelo.


Caso se trate de um eflúvio telogénico agudo, frequente na mudança de estação, o melhor conselho dado é que seja resiliente. O ciclo de renovação do cabelo irá normalizar.


Cuidar bem do couro cabeludo e dos fios de cabelo presentes é crucial!


A J.F.Lazartigue tem alguns produtos capilares adequados a uma fase de queda, como o champô FORTIFY, cujos ingredientes estrela são o guaraná e o extrato de rícino, que dão energia e reforçam a fibra capilar. Poderão encontrar uma embalagem para refill, que traz a quantidade correspondente a dois champôs.



Dentro das opções de séruns capilares existem duas opções, ambas à base de extrato de trevo vermelho, e CAPIXIL.


O sérum THICKER é uma opção adaptada à diminuição progressiva da densidade capilar e ao cabelo fino; trata-se de uma textura em gel de com tom verde.


O sérum STRONGER, adequado à queda de cabelo reacional que pode estar ligada com stresse, cansaço, pós-parto, doença, mudança de estação do ano, etc.

Ambos os séruns podem ser aplicados no couro cabeludo, seco ou húmido, pelo menos três vezes por semana, com ajuda da pipeta, idealmente em quatro áreas proporcionais, e associar uma massagem para espalhar o produto e para promover a microcirculação periférica. Não é necessário enxaguar e a recomendação é a aplicação por três meses.


Para esta rotina que se destina a prevenir e diminuir a queda de cabelo não nos podemos esquecer do esfoliante da marca, o EXFOLIATE, para ser usado como pré-champô. Falei deste produto aqui. A esfoliação é importante para cuidar do nosso couro cabeludo, e se fizermos esfoliação uma vez por semana o mesmo vai estar mais “receptivo” aos cuidados capilares para o efeito pretendido, potenciando assim a eficácia dos produtos aplicados.


O spray VOLUMIZE é, na minha opinião, um produto chave para suar durante a queda e até à normalização da massa capilar. O volume disfarça a falta de densidade. Este spray pode ser usado na raiz do cabelo, molhado. Idealmente deve começar por secar o cabelo pela nuca, virando a cabeça para baixo se possível, promovendo o volume do cabelo e ajudando a raiz do cabelo a “descolar” do couro cabeludo.

A marca também dispõe de um suplemente alimentar, o BOOST, que tem vitaminas B6, B8 e E, bem como zinco, selénio e cobre. O seu principal ingrediente ativo, extrato de rúcula, é o responsável por promover o crescimento do cabelo saudável.


Dica: nesta fase, onde a queda de cabelo pode ser mais acentuada, evite usar produtos muito nutritivos, pois em contrapartida, podem deixar o cabelo mais pesado, perdendo volume.



Espero que este artigo tenha ajudado a compreender a queda de cabelo, bem como a adequar os cuidados e produtos a usar.



Agradeço a colaboração para a realização deste artigo da médica de medicina geral e familiar, especializada em tricologia, Sara Bento Silva, a qual salvaguardo de qualquer interesse profissional relacionado com esta parceria. Podem conhecer mais sobre esta médica aqui.


Conte-me nos comentários quais os cuidados que tem durante o período de queda sazonal!


Obrigada por ler!

Joana


Fontes consultadas para a elaboração deste artigo:

  • Courtois M, Loussouarn G, Hourseau S, Grollier JF. Periodicity in the growth and shedding of hair. Br J Dermatol. 1996 Jan;134(1):47-54. PMID: 8745886;

  • Marks, Dustin H.; Penzi, Lauren R.; Ibler, Erin; Manatis-Lornell, Athena; Hagigeorges, Dina; Yasuda, Mariko; Drake, Lynn A.; Senna, Maryanne M. (2018). The Medical and Psychosocial Associations of Alopecia: Recognizing Hair Loss as More Than a Cosmetic Concern. American Journal of Clinical Dermatology, (), –. doi:10.1007/s40257-018-0405-2;

  • Yekaterina Mercke; Huaibao Sheng; Tehmina Khan; Steven Lippmann (2000). Hair Loss in Psychopharmacology. , 12(1), 35–42. doi:10.1023/a:1009074926921

  • . Rodrigo, F. et al. Dermatologia - Ficheiro Clínico e Terapêutico. 1. ed. Avenida de Berna | Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010;

  • Jafferany, Mohammad & Ferreira, Bárbara & Patel, Arsh. (2020). The Essentials of Psychodermatology. 10.1007/978-3-030-45582-8.





1 Comment


upcloseonbeauty
Oct 29, 2022

Adorei o post! Nesta altura do ano, vai sempre cabelo. Obrigada pela partilha do conhecimento ☺️

Like
bottom of page