top of page
Buscar
  • Foto do escritorJoana Preto

Mariana e o sol!

A minha história com a Mariana é super caricata! Posso dizer que fui altamente contagiada pela sua boa energia logo no primeiro minuto, mas também fiquei completamente assoberbada em preocupação quando soube da sua história delicada com a pele...


Eu conheço a Mariana porque existem dois cães... Os nossos cães! O Bola e a Suri, eternos namorados e que levaram a minha relação com a Mariana a uma amizade eterna também! Assim, irá ver ao longo desta publicação, várias fotografias com o Bola. Ele também merece o palco, porque não só é um elemento agregador da nossa relação, como é um cão amoroso, cavalheiro e simpático!





A Mariana e Sol... Lembro-me do dia em que chorei quando a Mariana foi tirar um sinal, e detesteia-a pelos anos de exposição solar desprotegidos que teve nos seus loucos anos 20! Mas a Mariana vai contar resumidamente e em 4 respostas às minhas perguntas, porque é hoje em dia tão cuidadosa e disciplinada com a sua pele...



1. Mariana, a pele tem memória. Qual é a memória da tua pele?

R.: Não sabia.... Mas sei que tenho manchas antigas! Manchas que corrigi com tratamentos de peeling e laser e que voltam a aparecer exatamente no mesmo local do rosto, e do mesmo tamanho. Classifico esta situação como sendo a "memória" que a minha pele tem, mesmo quando tento contrariar, e o que "está lá" aparece e submerge.

2. Quando despertaste para a necessidade de cuidar da pele e porquê?

R.:No ano 2005, quando foi diagnosticado cancro de pele ao meu pai e pediram aos filhos para fazer rastreio. O meu irmão não acusou o "gene" mas eu sim, concluindo que tenho um tipo de pele igual à do meu pai e com propensão elevada de degeneração natural das células, e tendo a exposição solar um efeito acelerador! Desde então, despertei para a necessidade de proteção solar a 100% e a todo o tempo. Acabei por desenvolver interesse e preocupação em todos os temas relacionados com os cuidados de pele, em particular, do rosto.


3. Quais são as tuas maiores necessidades e preocupações com a pele?

R.: As manchas e hiperpigmentações, sem dúvida. Com os anos a passar, começo a ver rugas de expressão mais vincadas que não gostaria de ter e que não parecem ser adequadas à idade e juventude que sinto que tenho. Talvez por este motivo, comece a despertar para os cremes anti-rugas ou de uniformização da pele. O meio maior objetivo, em primeiro lugar, é ter a pele do rosto o mais ''uniformizada" possível em relação às manchas e pigmento. Em segundo lugar, em relação às rugas localizadas (em particular na testa e olhos), também gostaria de disfarçá-las.


4. Sei que usas, há muitos anos, cosméticos que ajudem a melhorar o aspecto das hiperpigmentações, bem como a prevenir o aparecimento de mais. Quais são os teus conselhos para as pessoas que se identifiquem com a tua história?

R.: Os meus conselhos são dois. O primeiro e fundamental é, sem dúvida, aplicar protetor solar. Sempre! Todo o dia, todos os dias do ano, em qualquer situação. Principalmente para quem vive em cidades como Lisboa, em que a maior parte do ano há sol e intensidade dos raios solares. É também desejável reduzir a exposição solar, embora eu perceba que para as pessoas mais jovens esta recomendação não seja bem aceite (eu também já fui jovem e adorava estar morena!). Costumo dizer que as manchas e sardas que eram "giras" aos vinte e aos trinta anos, juntaram-se agora todas e escureceram aos quarenta. Esse é o problema! Assim, recomendo proteção solar, o mais alta possível, e de preferência especial para manchas (nem todos os protetores têm largo espectro de proteção para todos os tipos de raios UV).

Por outro lado aconselho também uma boa rotina diária de limpeza para que os cremes despigmentantes sejam mais eficazes nos tratamentos da noite.




Não são precisas mais perguntas para ter a certeza que se a Mariana voltasse aos seus vinte anos teria, com toda a certeza, os cuidados que não teve com a proteção solar. Independentemente da sua história familiar, que é preponderante, as manchas são a sua recordação e, em última análise, a sua maior aprendizagem. Mas também o melhor exemplo para quem nos lê por aqui, e que certamente se vai identificar.


Efetivamente a pele tem memória. O que fazemos fica gravado, e pode dar sinal passados uns anos. Por isso nunca é cedo, como também nunca é tarde, para iniciar um plano de cuidados de pele adaptado a cada pessoa, na sua esfera individual, e contextualizada na sua história de vida.



Também sei que a Mariana é cliente e fã da Filorga há largos anos, mas o que a Mariana ainda não conhecia era esta gama específica para manchas - SKIN-UNIFY, e pode ler aqui mais informação.





Ofereci-lhe o creme e o sérum da gama, e juntamente levei outros cuidados que podem complementar esta rotina de cuidados de pele - loção oxygen-peel,o creme de olhos optim-eyes e o esfoliante scrub & mask (neste caso para usar uma vez por semana). A Mariana além de ter uma pele mista, tem uma pele resistente, com manchas (e efélides desde criança), além de rugas dinâmicas e de desidratação.



No plano de cuidados de pele que elaborei à Mariana, e que sei que vai cumprir à risca, também a desaconselhei a lavar o rosto no banho, tal como desaconselhei a usar um gel de limpeza com esfoliação física diariamente. Eram dois hábitos que a Mariana tinha, e com os quais relacionava alguma sensibilização da pele com secura associada.




Cuidar da pele é saúde, acredite!


Obrigada por nos ler!

Joana


*Fotografias da autoria de Joana Preto.

Comments


bottom of page